segunda-feira, 15 de maio de 2017

Fé com profundidade

Fé com profundidade

Mas, quanto a mim, ficarei atento ao Senhor, esperando em Deus, o meu Salvador, pois o meu Deus me ouvirá” (Miqueias 7.7).
Nas circunstâncias externas da vida você sempre encontrará algo que contrarie a sua fé. Você consegue confiar no Senhor Jesus quando seu intelecto grita: “Isso nem é possível!”? Estando no alto das montanhas da fé é fácil agitar as bandeiras da alegria. No entanto, precisamos retornar ao vale da realidade e submeter nossa fé aos duros desafios da vida. Nossa fé precisa ser provada se ela pretende ser reconhecida como genuína. E então acontece que passamos “pelos vales” e milhares de perguntas parecem permanecer sem resposta: “Senhor, por quê? Por que justamente comigo? Qual a provação para minha fé nesse momento? Em que nível está agora a confiança no Senhor Jesus? Por que essas dores, por que essa enfermidade? Por quanto tempo mais? Por que esse acidente trágico?”.
Como é bom poder confiar em um Senhor que tem uma resposta para todas as perguntas e problemas. Por isso: acalme-se diante do Senhor e espere nele, pois dele também vem a ajuda para você. Não estamos à mercê do acaso. Esse mundo é e permanece sendo um vale de lágrimas no qual precisamos subsistir. Através de sofrimentos chegaremos à glória. Por isso, não permita que nas horas turbulentas de sua vida o inimigo venha a incitá-lo contra o Senhor. Não permita ser derrotado pelo espírito do desânimo. Na ocasião em que Jó caiu em horríveis questionamentos, e até sua mulher e amigos se distanciaram dele, Satanás imaginou que pudesse vencer o jogo. No entanto, como é bom saber que, nessas horas, nosso Salvador intercede por nós diante do Pai e menciona a ele o nosso nome. Como é bom poder estar seguro da intercessão de nosso fiel Sumo Sacerdote por nós. “[Pedro,] eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça” (Lucas 22.32). Que Senhor maravilhoso!
Por isso, deposite sua vida confiadamente nas mãos de seu Senhor. Ele sabe, melhor do que ninguém mais, como fazer o bem para a sua alma. Chegará o dia em que você verá como foi bom ter confiado no Senhor Jesus e que, ao final de tudo, os caminhos difíceis foram caminhos de bênçãos. 
Manfred Paul
Chamada da meia noite

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Contando as Maravilhas de Deus

Contando as Maravilhas de Deus

“Contai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas” (1 Crônicas 16:24).

Olhe em volta. As pessoas estão se debatendo em mares de culpa, raiva, desespero. A vida não está funcionando. Estamos afundando rápido. Mas Deus pode nos resgatar. E somente uma mensagem importa. A Dele! Nós precisamos ver a glória de Deus! Não se engane. Deus não tem problema de ego. Ele não revela a Sua glória para o bem Dele. Precisamos testemunhá-la para o nosso bem. Precisamos de uma mão forte que nos puxe para dentro de um barco seguro. E uma vez a bordo, o que se torna a nossa prioridade? Simples. Promover Deus. Nós declaramos, “Ei, barco seguro aqui! Piloto hábil! Ele pode resgatá-lo!” 1 Crônicas 16:24 diz, “Contai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas”. Se nos gloriarmos de alguma coisa, nos gloriamos no Senhor! Salmos 115:1 diz, “Não a nós, Senhor, nenhuma glória para nós, mas sim ao teu nome, por teu amor e por tua fidelidade!” Declare a Sua glória! “... Reduza a descrição de trabalho humano numa frase e é isto: refletir a glória de Deus ...”

Com carinho,

Familia Evangelistic

terça-feira, 25 de abril de 2017

Inveja, Calunia e Difamação

O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos. 
Provérbios 14:30

 Quem nunca sofreu com calúnia, difamação, inveja?

Calúnia e difamação são frutos de mentes e corações distantes do amor e do bem. São as armas prediletas para atacar as pessoas de bem.

Pessoas más inventam, aumentam, distorcem e fazem tudo para tentar sujar a imagem de seus desafetos.

Essa prática é mais comum do que imaginamos. A fofoca é um exemplo. Raramente uma fofoca é fiel à realidade, vem sempre associada à maldade e à inveja.

Como lidar com estas situações?

- Se as pessoas para as quais forem ditas calúnias a seu respeito, conhecem bem você, não faça nada. O caluniador está passado seu próprio atestado de mau caráter.

- Quanto às pessoas que não conhecem você tão bem, explique-se somente àquelas que merecem sua consideração e estão diretamente envolvidas com você.

- No trabalho, justifique-se somente com as pessoas às quais você responde hierarquicamente e amigos verdadeiros. Esclareça as calúnias. Mantenha tudo na esfera profissional, trate dos fatos, não das pessoas caluniadoras.

E lembre-se:

1. Nada do que disserem a seu respeito poderá diminuir o seu real valor. Ninguém pode fazer você se sentir inferior sem que você permita.

2. O tempo é o maior aliado da verdade. Nenhuma mentira, calúnia ou difamação resiste à ação do tempo!

3. Sua melhor resposta é sua história de vida. Pratique a virtude, faça o bem. Nada poderá destruir esse patrimônio! 

4.Entregue nas mãos de Deus e descanse Deus é o seu justo juiz.


Com carinho

Familia Evangelistic

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Deus escreveu a sua historia

"...Todos os dias determinados para mim foram escritos no Teu livro antes de qualquer deles existir" (Salmo 139:16).
.
Você sabia que Deus já escreveu a história da sua vida? Ele tem planos de paz e felicidade para você. Mas isso não significa que você não irá passar por situações complicadas e frustrantes. Existe uma guerra espiritual sendo travada neste exato momento, mas Deus irá usar tudo o que for preciso para te preparar e amadurecer.

Quando acontecem coisas que não entendemos, é fácil pensar: "Por que isso aconteceu comigo? Por que meu amigo me traiu? Por que meus filhos me tratam mal? Por que ainda não consegui um emprego? Por que ainda não encontrei uma pessoa de Deus pra namorar e casar? Por que minha família é tão desunida?" etc.

Mas você não pode deixar que essas coisas te deixem preso na mesma página da história de sua vida. Você precisa virar a página para que você enxergue a vitória que está te esperando no próximo capítulo!

Se você está enfrentando lutas hoje, sejam (internas ou vindas de fora), saiba que Deus quer transformá-las para o seu bem. Por isso, siga em frente, continue orando e crendo no Senhor, perdoando quem te feriu e não deixe que nada te impeça de alcançar a salvação que Deus tem para você, por meio de Jesus Cristo.

Você está no lugar onde deveria estar e Deus pode transformar a sua vida e das pessoas ao seu redor, se você crer!

Por: Pr. Antônio Junior 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Páscoa - Como Tudo Começou

Páscoa - Como Tudo Começou ( Parte 3)
Thomas C. Simcox
A principal mensagem de Pessach, logicamente, é a redenção. É sobre o plano de Deus para redimir Israel da escravidão. Todavia, ela contém paralelos maravilhosos para a cristandade:
1. O cordeiro foi observado durante três dias para se certificarem de que ele era perfeito, sem nenhum defeito. Jesus foi cuidadosamente observado durante Seus três anos de ministério na terra e foi declarado inocente pelo governador romano, Pôncio Pilatos, que afirmou: “eu não acho nele crime algum” (Jo 19.6). João Batista, um levita, disse de Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!‘ (João 1.29).
2. Imediatamente após a Páscoa, é celebrada a festa de sete dias dos Pães Asmos (sem fermento). Na Bíblia, o fermento representa o pecado. Portanto, durante estes sete dias, o povo judeu observador da Lei se abstém de comer todos os produtos que contêm um agente levedador, como o fermento. A Escritura ensina que Jesus, o Deus-Homem, era perfeito – sem defeito, sem pecado – tornando-se o perfeito sacrifício para um Deus santo e justo.
3. Finalmente, vem o feriado dos Primeiros Frutos (Primícias, Lv 23.9-14). De acordo com a Bíblia, essa festa deveria ser observada “no dia imediato ao sábado” (Levítico 23.12). Embora haja algum desacordo quanto ao que essa instrução significa, a festa das Primícias claramente cai durante Pessach. No cristianismo, essa festa é associada à ressurreição de Cristo. Como escreveu o Apóstolo Paulo:
Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo” (1 Coríntios 15.20-22).
Embora hoje Pessach seja substancialmente diferente da observação original, ela ainda aponta claramente para o profundo amor de Deus por Israel e a libertação física que Ele proporcionou ao povo judeu. É também um lindo quadro de Seu amor pela humanidade por meio da provisão vinda de Deus, que é Jesus, o Cordeiro Pascal, cuja morte e ressurreição proporcionam libertação espiritual da escravidão do pecado a todos aqueles que nEle colocam sua fé. (Thomas C. Simcox — Israel My Glory — Chamada.com.br)
Familia Evangelistic

Pascoa como tudo começou

Páscoa - Como Tudo Começou (Parte 2)

Thomas C. Simcox
Deus disse aos israelitas que escolhessem um cordeiro ou um cabrito, macho, jovem, (um por família), no décimo dia do mês de nisan e observassem seu cordeiro durante três dias para se assegurarem de que ele era “sem defeito” (Êx 12.5). Depois, as instruções foram: “e o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o imolará no crepúsculo da tarde. Tomarão do sangue e o porão em ambas as ombreiras e na verga da porta, nas casas em que o comerem” (Êxodo 12.6-7).
O Senhor também lhes disse: “naquela noite, comerão a carne assada no fogo; com pães asmos e ervas amargas a comerão. Não comereis do animal nada cru, nem cozido em água, porém assado ao fogo: a cabeça, as pernas e a fressura” (Êxodo 12.8-9).
Deus não estava interessado nas preferências pessoais deles com relação ao preparo dos alimentos. Os cordeiros deveriam ser preparados de acordo com o que Deus falasse, e nada dos animais deveria ser guardado. “Nada deixareis dele até pela manhã; o que, porém, ficar até pela manhã, queimá-lo-eis” (Êxodo 12.10).
Naquela noite, com o sangue na verga de suas portas, o povo judeu sentou-se em suas casas e comeu o cordeiro pascal. Eles não deveriam sair das casas. Quando Deus via o sangue nas portas, Ele protegia aquela família do destruidor que passou pela terra à meia-noite (Êx 12.29). Onde não havia sangue, os primogênitos machos daquelas famílias do Egito, inclusive a do Faraó, morreram.
O julgamento deu a vitória ao Deus de Israel e expôs a impotência dos ídolos e falsos deuses do Egito.
Os elementos-chave da Páscoa original eram o cordeiro assado, ervas amargas e pão sem fermento. Os sêderes (ceias pascais) de hoje são muito diferentes. O cordeiro é substituído pelo osso da canela (parte da perna abaixo do joelho) de um cordeiro, chamado zerah em hebraico. As ervas amargas permanecem, bem como o pão sem fermento (matzoh). Mas outros elementos foram acrescentados, e o feriado foi transformado de um tempo sóbrio de apreensão em uma celebração alegre de libertação.
Familia Evangelistic

Pascoa como tudo começou

Páscoa - Como Tudo Começou (Parte 1)

Thomas C. Simcox
De todas as celebrações de Pessach (a Páscoa judaica), apenas uma foi a verdadeira. Ela aconteceu mais de 34 séculos atrás, quando o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó estava fazendo os preparativos para libertar Seu povo escolhido da escravidão no Egito.
O Senhor havia enviado Moisés e seu irmão Arão a Faraó para exigir que fosse permitido aos israelitas irem para o deserto a fim de adorá-lO. Faraó se recusou a dar a permissão. Então, Deus atacou o Egito com nove pragas devastadoras. Mesmo assim, Faraó ainda se recusou a permitir que os israelitas deixassem o Egito.
Então, Deus falou a Moisés: “Ainda mais uma praga trarei sobre Faraó e sobre o Egito. Então, vos deixará ir daqui; quando vos deixar, é certo que vos expulsará totalmente” (Êxodo 11.1).
Deus, como sempre, fez como havia prometido. A décima praga é a chave para o feriado de Pessach porque envolve o cordeiro pascal.
A décima praga foi a morte de todos os primogênitos machos, tanto seres humanos quanto animais. E, diferentemente das nove pragas anteriores, que nunca afetaram Gósen, onde moravam os israelitas, essa praga afetaria a todos.
O Senhor também usou a décima praga para ensinar aos israelitas o princípio bíblico da redenção por meio de um substituto. Ele disse a Moisés: “Consagra-me todo primogênito; todo que abre a madre de sua mãe entre os filhos de Israel, tanto de homens como de animais, é meu” (Êxodo 13.2). Se os israelitas deixassem de seguir as instruções de Deus, esses primogênitos morreriam, juntamente com os primogênitos dos egípcios.
Familia Evangelistic